As compras em plataformas de social media devem atingir os 1,2 biliões de dólares até 2025


O novo estudo da Accenture prevê que o crescimento será impulsionado principalmente pela Gen Z e Millennials.

Lisboa, 13 de janeiro de 2022 – Um novo estudo da Accenture revelou que a indústria global de social commerce, que representa atualmente o valor de 492 mil milhões de dólares, deve crescer três vezes mais rápido do que o eCommerce tradicional, para $1,2 biliões até 2025. O crescimento deverá ser impulsionado principalmente por utilizadores de social media da Gen Z e Millennials, que vão representar 62% do social commerce global até 2025.

De acordo com o relatório da Accenture, “Why Shopping’s Set for a Social Revolution”, o comércio social significa que toda a experiência de compra - da pesquisa pelo produto ao processo de check-out - ocorre numa plataforma de social media. Quase dois terços (64%) dos utilizadores de redes sociais inquiridos afirmaram que fizeram uma compra em social commerce no ano passado, o que a Accenture estima que represente quase 2 mil milhões de compradores sociais em todo o mundo.

“A pandemia mostrou o quanto as pessoas usam as plataformas sociais como um ponto de entrada para tudo o que fazem online - notícias, entretenimento e comunicação.” disse Eduardo Fitas, Managing Director da Accenture, responsável pela área de comunicações, media e tecnologia em Espanha, Portugal e Israel. “O aumento constante do tempo gasto nas redes sociais reflete o quão essenciais estas plataformas são na nossa vida diária. Estão a reformular a forma como as pessoas compram e vendem, o que constitui novas oportunidades para as plataformas e marcas em termos de experiências de utilizador e fluxos de receita”.


Embora a oportunidade seja significativa para grandes empresas, as pessoas e marcas mais pequenas também podem beneficiar. Mais de metade (59%) dos compradores
sociais inquiridos afirmaram que estão mais propensos a apoiar pequenas e médias empresas através do social commerce do que quando compram em sites de eCommerce. Além disso, 63% disseram que têm mais probabilidade de voltar a comprar ao mesmo vendedor, o que mostra os benefícios do comércio social na fidelização e no incentivo às compras repetidas.

“O comércio social é uma força niveladora que é impulsionada pela criatividade, engenho e poder das pessoas. Capacita marcas com menor expressão e indivíduos e faz as grandes marcas reavaliarem a sua relevância num mercado de milhões de indivíduos”, disse Manuela Vaz, Managing Director da Accenture Portugal, responsável pelas áreas de retalho e bens de consumo. “Tomar as decisões certas em relação ao comércio social exigirá que os criadores, revendedores e marcas vão de encontro ao consumidor, e não o contrário, com os seus produtos e serviços. Significa trabalhar em conjunto dentro de um ecossistema dinâmico de plataformas, mercados, social media e influenciadores para partilhar dados, insights e recursos para garantir os incentivos certos e a melhor experiência de consumidor num mercado digital integrado.”


Contudo, metade dos utlizadores de social media inquiridos indicou que teme que as compras em social commerce não sejam protegidas ou reembolsadas de forma adequada, tornando a confiança a maior barreira para a adoção, tal como aconteceu com o eCommerce na sua fase inicial.

"Aqueles que ainda não usaram o comércio social dizem que um dos motivos pelos quais estão reticentes é a falta de confiança na autenticidade dos vendedores sociais, enquanto que os utilizadores ativos referem as más políticas de devoluções, reembolsos e trocas como uma área a ser melhorada” disse Manuela Vaz. “A confiança é um desafio que levará tempo a ser superado, mas os vendedores que se focam nessas áreas estarão mais bem posicionados para aumentar a sua quota de mercado.”

O que estão a comprar os diferentes utilizadores?

O estudo da Accenture prevê que em 2025, o maior volume de compras em comércio social a nível global seja em roupas (18% de todo o social commerce em 2025), eletrónicos de consumo (13%) e decoração para a casa (7%). Os alimentos frescos e snacks também representam uma grande categoria de produtos (13%), embora as vendas sejam quase exclusivamente na China. O segmento de beleza e cuidados pessoais, embora menor em termos de vendas totais de comércio social, prevê-se que vá ganhar terreno ao eCommerce rapidamente, e representar em média mais de 40% do consumo digital nesta categoria nos principais mercados até 2025.

As outras conclusões do estudo da Accenture:
 
  • Os consumidores em países em desenvolvimento têm uma maior probabilidade de utilizar o social commerce e fazem-no com mais frequência. Oito em cada dez utilizadores de social media na China usam o comércio social para fazer compras de uma determinada categoria, enquanto que a maioria dos utilizadores de social media no Reino Unido e nos Estados Unidos ainda não fez qualquer compra desta forma.
  • Os compradores da China, Índia e Brasil valorizam mais os recursos que os ajudam a encontrar e avaliar potenciais compras, enquanto que os do Reino Unido e EUA dão maior importância aos preços e descontos.
  • A confiança é mais importante para as gerações mais velhas do que para as gerações mais jovens. Os compradores mais velhos enfatizam as características de segurança e valorizam o conhecimento da marca, enquanto as gerações mais jovens são atraídas por livestreams e confiam mais nas avaliações de outros compradores.

Para obter mais informações e insights sobre social commerce, clique aqui.

Metodologia

A Accenture Research conduziu uma série de estudos sobre comércio social para entender melhor a natureza desta oportunidade. Foi feito um inquérito online a 10.053 utilizadores de social media na China, Índia, Brasil, EUA e Reino Unido. O estudo online foi realizado entre 12 de agosto e 3 de setembro de 2021. Também foram realizadas entrevistas com os compradores e vendedores dos mesmos cinco mercados entre 26 de maio e 2 de junho de 2021.

As previsões do mercado de comércio social da Accenture foram feitas através de modelagem econométrica, considerando a otimização das preferências dos consumidores para acelerar o momentum do mercado atual. O mercado de comércio social inclui produtos ou serviços adquiridos através de redes sociais, independentemente do meio de pagamento, abrangendo as transações business to consumer (B2C) e consumer to consumer (C2C).

Sobre a Accenture

Accenture é uma organização global de serviços profissionais, líder em capacidades digitais, cloud e security. Combinando uma experiência sem paralelo com uma forte especialização em mais de 40 setores de atividade, oferece uma ampla gama de serviços em estratégia e consultoria, interactive, tecnologia e operações, suportada pela maior rede mundial de centros de tecnologias avançadas e operações inteligentes. Os 674 mil profissionais da Accenture cumprem a promessa da tecnologia e da criatividade humana todos os dias ao servir clientes em mais de 120 países, utilizando o poder da mudança para criar valor e partilhar sucesso com clientes, colaboradores, acionistas, parceiros e sociedade. Visite-nos em  www.accenture.pt/.

Contacto:
Alexandre Vieira
alexandre.a.vieira@accenture.com