O novo livro da Accenture disponibiliza um roteiro completo para as empresas que pretendem acelerar a transição para uma sociedade digital e sempre conectada, realidade aliás agora incontornável e imprescindível.
Lisboa, 22 de julho de 2020: Todos os Operadores de Comunicações se assumem como peças centrais no ecossistema necessário para cumprir a promessa de serviços digitais integrados e criados para fins específicos nas casas do futuro, tal como evidenciam Jefferson Wang e Boris Maurer, especialistas da Accenture na área do 5G e autores do novo livro publicado pela consultora.
A casa do futuro na era 5G: Estratégias da próxima geração e modelos de negócio para pessoas hiperconectadas”, foi escrito por Wang e Maurer antes da pandemia do COVID-19, mas detalha um conceito de casa do futuro baseado nas necessidades humanas, necessidades essas que, aliás, só se tornaram mais evidentes à medida que a crise global se desenvolveu.

O livro mostra ao leitor um cenário de casas hiperconectadas que oferecem serviços personalizados em ambiente doméstico para efeitos de trabalho remoto e formação, assistência médica e telemedicina, comunicações sociais, entretenimento imersivo, relações com a comunidade, creche e cuidados geriátricos avançados. Fruto de uma conjugação de esforços entre as relações de confiança estabelecidas pelos Operadores de Comunicações junto dos consumidores e os recursos tecnológicos, especificamente com o 5G, será possível criar novos modelos de negócio que impulsionam a inovação baseada numa plataforma, assim e reinventando as experiências dos clientes dentro e fora de portas da sua casa do futuro.

Os recentes desafios gerados pela pandemia global da COVID-19 apenas destacaram a importância do lar. Atualmente, grande parte da população global trabalha a partir de casa, educa as crianças em casa, entretém-se e até interage com os médicos em casa. Esta nova realidade alterou drasticamente a definição deste espaço de habitação, e os Operadores de Comunicações podem mobilizar-se em conjunto para facilitar a adaptação a essas mudanças, desta forma desempenhando um papel crítico no suporte aos consumidores, às empresas e aos governos na área das casas do futuro, salientou Jefferson Wang, Global 5G Lead e Managing Director, Technology Strategy & Advisory da Accenture.

Embora a pandemia global que agora atravessamos venha provavelmente a forçar uma mudança na implementação de redes 5G, a conectividade com esta tecnologia wireless em larga escala – como acontece em qualquer curva de implementação de uma nova tecnologia – manteve-se “hibernada” durante vários anos. No entanto, à medida que a adoção começa, o estilo de vida do consumidor será intensamente assistido por tecnologias digitais inteligentes 5G, a qual facilitará e fará da casa do futuro uma rutura radical dos standards atuais de sofisticação digital, tendo sobretudo em conta os novos serviços digitais de alta qualidade disponibilizados no seu ecossistema.

O ecossistema das casas do futuro deve incluir sistemas de tecnologia de fabricantes de dispositivos, platform providers e designers de aplicações, além de contribuições de empresas que respondam a necessidades cada vez mais críticas dos consumidores, como os setores de saúde e bens de consumo. O livro “A Casa do Futuro na Era 5G” explora como os parceiros podem trabalhar melhor em conjunto com o objetivo de criar e manter seguras as casas do futuro, com os Operadores de Comunicações a assumirem uma posição principal enquanto catalizadores centrais desse ecossistema tão diversificado.

A tendência de integrar o lar, o trabalho, a assistência a vários níveis, o lazer e outras necessidades num novo estilo de vida digital sob o mesmo teto está a aumentar mais do que nunca a procura por uma casa do futuro; assim como a necessidade de proteger a sua construção e os respetivos moradores”, frisou Eduardo Fitas, Vice-Presidente da Accenture Portugal e responsável pelas áreas de Comunicações, Media e Tecnologia. “O amplo ecossistema que se deve unir para reinventar, moldar e projetar produtos e serviços para alavancar a casa do futuro, também deve fornecer, gerir e armazenar essas soluções de maneira fiável. Todos os parceiros devem colocar a cloud, a privacidade e a segurança dos dados no centro das suas estratégias”, acrescenta Eduardo Fitas.

Para que os Operadores de Comunicações assumam essa nova posição de liderança enquanto orquestrador de ecossistemas, o livro destaca as principais etapas que devem ser cumpridas para transformar a estrutura e a cultura dos seus negócios, dominando a agilidade competitiva à medida que a executam com igual foco no crescimento, no lucro, na sustentabilidade e na confiança. As etapas a cumprir incluem:
  • Reinvente o front-office digitalmente para criar uma experiência proativa e em tempo real junto do cliente, dando aos consumidores uma sensação de controlo sobre a sua casa do futuro.
  • Renove o back-office para se tornar firme e ágil, suportando os modelos de negócios inovadores e dinâmicos necessários e as suas interações constantes com os clientes.
  • Forme a equipa nas habilitações de facto necessárias para operar com eficiência neste novo mundo de serviços.
  • Adote um rápido desenvolvimento de produtos para acompanhar as exigências e as necessidades em constante mudança dos utilizadores das casas do futuro.
  • Crie plataformas de tecnologia ágeis que possam ser dimensionadas rapidamente e acomodar ecossistemas que envolvam uma ampla variedade de parceiros.
  • Ative uma camada de conectividade alargada que une 5G e todos os outros elementos para fornecer a conectividade omnipresente necessária para alimentar a casa do futuro.
Ao colocar as necessidades humanas no centro da sua estratégia, os Operadores de Comunicações podem tornar-se num orquestrador do ecossistema necessário para que o futuro comece a tomar forma já hoje. Os Operadores de Comunicações são o elemento-chave para transformar a infraestrutura digital fragmentada das nossas casas, e proporcionam o futuro perfeito que responde às nossas necessidades domésticas em assumida expansão, além de promoverem um crescimento duradouro dos negócios”, refere o Vice-Presidente da Accenture Portugal e responsável pelas áreas de Comunicações, Media e Tecnologia.

Para mais informações, visite: https://www.accenture.com/5GFutureHome